Aviso

USE O LINK ACIMA PARA CONTATO SOBRE EVENTUAIS ENFRENTAMENTOS DE FASES NEGATIVAS, TROCA DE EXPERIÊNCIAS, BUSCA DE REEQUILÍBRIO.

sábado, 24 de março de 2012

PAZ




O perdão é a base de toda a Caridade. Sem o perdão, que liberta das perturbações que as injustiças insistem em despertar, ninguém consegue ter boa-vontade para com seus semelhantes. E é a boavontade que eleva o nosso companheiro de jornada à condição de fraterno Amor que o Cristo ensina. Da mesma forma, sem o perdão é difícil afastar o excessivo rigor de nossas críticas e nossa maledicência, pondo-nos em falha com o dever de indulgência. Mas, se presentes o perdão, a boa-vontade e a indulgência, somos agraciados com preciosíssimos tesouros:

Perdão e Boa-Vontade
passamos a viver em serenidade

Perdão e Indulgência
exercemos o exemplo divino da misericórdia

Perdão, Boa-Vontade e Indulgência
vivenciamos a caridade

E quando vivenciamos a caridade, como conjunção de todos esses fatores, no ápice de tudo temos a PAZ.




sábado, 3 de março de 2012

Libertar-se do Ego...

Entre a essência espiritual que nos caracteriza o ser e o corpo físico há, como cediço, vários veículos de manifestação. São os corpos, ou somas, ou koshas etc. Basicamente um encarnado tem o corpo físico, o duplo etérico, o psicossoma e o mentalsoma. Há o corpo causal mas o que se sabe decresce exponencialmente conforme mais sutis são os corpos considerados.

De qualquer forma, os fluxos de energia descem do comando do ser até o físico em processos automatizados nos evos de progresso até a condição humana e daí por diante. Um fluxo de energia referente ao instinto de conservação do ser desce do impulso mental ao psicossomático, ao etérico e até sua versão no plano físico: uma descarga de adrenalina no sangue.

Cada importante impulso termina com uma manifestação físico-bioquímica e sua correspondente resultante fisiológica.

Mas a Evolução não amoldou meros instrumentos passivos e necessitados de comandos totais. Os corpos são como estruturas inteligentes, com estruturas próprias de reação ao meio como forma de propiciar ao ser suficiente autonomia e rapidez para as imprescindíveis experiências do progresso espiritual.

Veja-se que o homem tem as chamadas reações do arco-reflexo. Mal vislumbrado um objeto vindo em sua direção, o homem leva com incrível rapidez a mão e protege o rosto contra a colisão. Um susto pode levar a vítima a gestos involuntários como socos, pulos, quedas etc. 

Pode-se dizer, portanto, que há um segundo ser, um sistema autônomo, que nos acompanha e que nos serve, mas que, também, nos escraviza...

Esse sistema, tão necessário quanto bem elaborado pela natureza, chegou ao nível de complexidade que a manifestação da consciência contínua no plano físico exige. E esse é um nível bem elevado de complexidade...

Quando você estiver diante de uma tarefa importante porém desgastante será o seu corpo físico que "recomendará", através de reações automatizadas do chaveamento bioquímico de neurotransmissores e hormônios em geral, que o esforço não seja intenso...

Essa "recomendação" evita que o ser destrua o seu próprio veículo físico submetendo-o a esforços excessivamente exaurientes. Mas faz com que uma contrapartida ganhe ensejo, algo tão natural quanto a cautela do sistema mas que se acumula como uma espécie de resíduo dos efeitos automatizados. Esse sistema autônomo ganha uma realimentação interessante. 

O ser interior não tem muita dificuldade em aceitar a "recomendação" de cautela e passa a evitar os esforços, deixando de fazer, por opção própria, o que deveria ser feito mesmo que o esforço não seja tão grande.

Esse resíduo realimentado, então, ganha um nome e um conteúdo cosmoético: preguiça...

O Ego --- esse imenso conjunto de reações automatizadas dos veículos de manifestação da consciência --- tornou-se o seu segundo ser...

Da mesma forma que o físico nos traz a "tentação" da preguiça, o etérico nos traz tentações tocantes aos fluxos mais fortes de energia --- excitação, sobre-excitação, frêmitos. O psicossoma atende com as correspondentes consequências emocionais e assim por diante.

É dessa "libertação do Ego" que muitos falam...