Aviso

USE O LINK ACIMA PARA CONTATO SOBRE EVENTUAIS ENFRENTAMENTOS DE FASES NEGATIVAS, TROCA DE EXPERIÊNCIAS, BUSCA DE REEQUILÍBRIO.

sábado, 28 de julho de 2012

Bonobos, maníacos sexuais de outrora...

Na postagem anterior, duas informações complementam-se em seu conteúdo esotérico. A identidade genética dos bonobos em relação aos humanos é espantosamente alta. Da mesma forma, segundo o rosacrucianismo de Heindel, compõem coletividade degenerada cuja retomada evolutiva jaz guardada para a próxima ronda, ou período planetário (nenhuma ovelha se perderá).

Para relembrar: Bonobos...

Quem quer que leia sobre bonobos saberá que a vida dos grupos se assenta na plena liberdade sexual. Raramente há conflitos, tudo se resolvendo pela busca constante de prazer sexual. Já houve notícia de bonobos machos que ficam, por assim dizer, excitados na presença de mulheres... A languidez decorrente dos seguidos desafogos pode bem ser observada também.

É o que ocorre com os evolucionários que, atingida a humanidade, optam pela reiteração descriteriosa da busca de prazer sexual. O êxtase sexual compreende movimentação imensa de energias em todos os níveis conscienciais. Se bem dirigida essa energia, desperta, ativa e intensifica os chakras superiores; se desperdiçada nas sensações meramente prazerosas, alimenta apenas os chakras inferiores, o que leva, depois de muito tempo, à reativação dos ciclos que já se havia ultrapassado --- é a degeneração.

Claro que isso não implica em degeneração definitiva... Mas gera atraso e o ser não pode continuar na mesma onda de vida dos que, mal ou bem, conseguem seguir adiante.

Os bonobos são nossos irmãozinhos descuidados de si...


domingo, 15 de julho de 2012

Bonobos...


Do site G1-Globo


13/06/2012 16h04 - Atualizado em 13/06/2012 17h14

Mapa genético do macaco bonobo é 98,7% igual ao humano, 


diz pesquisa

Cientistas terminaram de mapear o material genético do macaco.
'Bonobos fazem amor, e chimpanzés fazem guerra', segundo pesquisador.

Do G1, com agências internacionais
14 comentários
Os cientistas terminaram de mapear o DNA do macaco bonobo, segundo pesquisa publicada na revista "Nature" nesta quarta-feira (13). Alguns pesquisadores dizem que isso pode, no futuro, revelar segredos sobre como o lado mais sombrio de nossa natureza evoluiu.
Trata-se do sequenciamento do último grande símio que restava analisar, já que o chimpanzé foi sequenciado em 2005, o orangotango, em 2011 e o gorila em 2012.
Os cientistas descobriram que estamos tão próximos geneticamente do bonobo, que é pacífico mas pouco conhecido, como do chimpanzé, mais violento e mais bem compreendido. É como se eles fossem irmãos, e nós, primos, relacionados aos dois igualmente, partilhando alguns traços apenas com os bonobos e outras características apenas com os chimpanzés.
Bonobos e humanos compartilham 98,7% do mesmo mapa genético, o mesmo percentual compartilhado pelos humanos com os chimpanzés, de acordo com o estudo. Os dois macacos têm uma relação muito mais estreita entre si - compartilham 99,6% de seus genomas - disse o principal autor do artigo, Kay Prufer, geneticista do Instituto Max Planck, na Alemanha. "Os seres humanos são um pouco como um mosaico dos genomas de bonobos e chimpanzés."
Mãe e filho bonobo são mostrados em foto sem data cedida pela associação Amigos dos Bonobos (Foto: AP)Mãe e filho bonobo no Congo são mostrados em foto sem data cedida pela associação Amigos dos Bonobos (Foto: AP)
Diferenças
Os bonobos e os chimpanzés têm comportamentos distintos que podem ser vistos em humanos, com bonobos mostrando o que poderia ser pensado como nossos "anjinhos", explica o pesquisador Brian Hare, da Universidade Duke.
Bonobos fazem amor, não guerra. Já os chimpanzés matam e fazem guerra. Bonobos compartilham comida com estranhos, mas os chimpanzés, não. Bonobos ficam perto de suas mães - que, inclusive, escolhem os companheiros de seus filhos - muito depois da infância, assim como seres humanos. Mas os chimpanzés tendem a usar ferramentas melhor e a ter cérebros maiores, como os seres humanos, sugere a pesquisa.
"O genoma do bonobo é o segredo para a biologia da paz?" perguntou Hare, que não estava envolvido na nova pesquisa. "Eles fizeram algo em sua evolução que nem os humanos podem fazer: eles não têm o lado negro que temos.”
"Se nós tivéssemos estudado apenas os chimpanzés, teríamos uma visão distorcida da evolução humana", disse ele.
O bonobo Mikeno, no Congo, é mostrado em foto sem data cedida pela associação Amigos dos Bonobos (Foto: AP)O bonobo Mikeno, no Congo, é mostrado em foto sem data cedida pela associação Amigos dos Bonobos (Foto: AP)
Ancestrais
Bonobos, chimpanzés e seres humanos compartilharam um único ancestral comum de cerca de 6 milhões de anos atrás, disse Prufer. Os chimpanzés e os bonobos partilham o mesmo ancestral comum até um milhão de anos atrás, quando o rio Congo se formou. Em seguida, os bonobos se desenvolveram de um lado do rio, e os chimpanzés de outro. Tornaram-se espécies diferentes, embora os cientistas não soubessem disso até cerca de 90 anos atrás.
"As cabeças dos bonobos são ligeiramente menores, e os seus dentes estão dispostos de forma diferente. No comportamento, os bonobos são muito mais tolerantes, mais sociais. Eles são excessivamente sexuais: em vez de liberar a tensão pela luta, eles se aninham repetidamente", disse Hare. "Bonobos são governados por mulheres alfa, e os chimpanzés, por machos", reitera.
De algumas maneiras - especialmente quando se olha para a fisiologia do cérebro - é como se um bonobo fosse um chimpanzé juvenil que não se desenvolveu, segundo Hare. "Os chimpanzés ficam mais violentos à medida que envelhecem; os bonobos não", afirma.
Embora o nome científico para os bonobos seja Pan paniscus, “deveria ser Peter Pan", segundo Hare. "Eles nunca crescem e nós temos muitos dados para apoiar essa ideia. Grande parte da sua psicologia parece estar congelada", disse.
Alguns pesquisadores dizem que Hare romantizou demais o bonobo. O pesquisador Bill Hopkins, da Universidade Emory, diz que ele tem mais cicatrizes de bonobo em seu corpo do que cicatrizes de chimpanzés. "Claro, bonobos vão morder, mas não vão matar", disse Hare.
Bonobos são uma espécie ameaçada e vivem apenas na região da República Democrática do Congo, devastada pela guerra. "Ironicamente", disse Hare, "os bonobos são do lugar onde as pessoas estão no seu pior".

INVOLUÇÃO, EVOLUÇÃO E EPIGÉNESE  

A TRÍADE DO PROGRESSO 


     No processo da evolução, aqueles que não progridem e não se esforçam na formação de novas características ficam para trás e imediatamente começam a degenerar. Só os que conseguem ser flexíveis, adaptáveis e ter uma certa plasticidade podem modelar novas formas apropriadas para a expressão da consciência que se expande. Só a Vida que é capaz de aumentar as possibilidades no crescente aperfeiçoamento da forma que anima, pode evoluir com os adiantados de qualquer onda de Vida. Os outros devem ficar para trás.


      Este é o núcleo dos ensinamentos ocultos. O Progresso não é apenas desenvolvimento nem só Involução e Evolução. Há um terceiro factor formando uma tríade: Involução, Evolução e — Epigénese. 


      As primeiras duas palavras são familiares a todos os que estudam a Vida e a Forma, mas enquanto que é admitida a Involução do espírito na matéria para que a forma possa ser construída, não é normalmente reconhecido que a Involução do Espírito corra lado a lado com a Evolução da Forma.  A Forma foi construída pela Evolução: o Espírito construiu e entrou nela pela  Involução; mas os meios para alcançar o aperfeiçoamento são através da Epigénese, que é a possibilidade de se construir algo novo.

  A afirmação da ciência materialista que o homem ascendeu através dos diferentes reinos vegetal  e animal que existem à nossa volta, até aos antropóides e dali para o homem, não é correcta. O homem nunca habitou formas idênticas às dos animais actuais, nem às espécies antropóides de hoje; ele habitou formas parecidas, embora superiores às dos presentes antropóides.


      Os macacos, em lugar de serem os progenitores das espécies superiores, são, na realidade, os atrasados que ocupam formas que degeneraram daquelas que foram um dia  formas humanas. Não foi o homem que ascendeu dos antropóides, o contrário é a verdade — os antropóides degeneraram do homem.     
      A ciência materialista, tratando apenas da Forma, equivocou-se e tirou conclusões erróneas sobre o assunto.   Quando a Epigénese não se processa, quando é inactiva no indivíduo, na família, na nação ou raça — a evolução cessa e começa a degeneração. 
     Progredir ou retroceder é a Lei. A forma que não é capaz de aperfeiçoamento, deve degenerar.  

                                                                                  Conceito Rosacruz do Cosmos
                                                                                 (Capítulo XIV — Involução, Evolução e Epigénese)




sábado, 7 de julho de 2012

Sentimento de culpa...

O dito "sentimento de culpa" é o fundamento de tudo o que o Espírito amolda para si mesmo como karma doloroso a ser resgatado. O ser humano, tão logo se conscientize de ter feito algo em prejuízo de outra pessoa, condói-se e não se liberta da sensação ruim senão quando, de alguma forma, faz a catarse desse sentimento de dor. Ao invés de deixar a oferenda e primeiro buscar a reconciliação, como ensinou o Avatar de Peixes, a maioria prefere ofertar a si próprio em sacrifício, optando por experiências de dor que, desde que bem suportadas, posteriormente o libertarão do veneno da culpa.



Cultivou-se todo um sistema moral em cima das expiações pelos erros, ao invés de cultivar-se o senso de dever e reconciliação que o Mestre ensinou. Tanto pior, a imagem do assassínio e tortura foram erigidos a dogmas de fé ---  Já abordamos isso por aqui.

  • Uma ação para a reconciliação, por menor que seja, vale mais do que uma vida inteira de abnegação improdutiva.
Sempre que a culpa incomodar alguém, muito melhor que se ponha na correção necessária o mais breve possível, abandonando os falsos atalhos e auto-corrupções de justificativas cerebrinas..