Aviso

USE O LINK ACIMA PARA CONTATO SOBRE EVENTUAIS ENFRENTAMENTOS DE FASES NEGATIVAS, TROCA DE EXPERIÊNCIAS, BUSCA DE REEQUILÍBRIO.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Orixás - Vibrações - Emanações da Divindade




Sobre a ideoplastia ambiente e seu caráter duradouro.
Do livro "Evolução no Planeta Azul" - Médium Norberto Peixoto - Ramatís
Nessa passagem, o Espírito comunicante é VOVÓ MARIA CONGA
PERGUNTA: - Diante da "complexidade" do tema ao espiritualista menos familiarizado como esoterismo umbandista, pedimos o vosso comentário sobre o que efetivamente sejam os orixás.
RESPOSTA:
Tentaremos ser o mais direta e simples possível, utilizando exemplos aos menos chegados ao esoterismo umbandista, facilitando o entendimento ao maior número de filhos.
Existem plano vibratórios que estão paralelos em densidade e frequência, mas interpostos uns aos outros.
Quando um recém-desencarnado que foi socorrido desperta em um hospital espiritual do Plano Astral, ele se encontra num entreposto transitório, intermediário entre duas dimensões de vida diferentes. Essas estruturas energéticas são "construídas" por seres espirituais de alta estirpe, que elaboram formas mentais e as plasmam com o pensamento no éter que a todos envolve. Desse hospital, passará para a dimensão correspondente ao seu nível energético e padrão vibracional do corpo astral. Há os que continuam perambulando no que os filhos denominam Umbral, que podemos chamar Astral Inferior, uma região muito "pesada" e que reflete o estado íntimo de cada criatura que por ali se encontra.
Tudo é exteriorizado das mentes afins,  com formas de cavernas escuras, abismos intermináveis, favelas e cidades medievais perdidas no tempo. O que regula a manifestação de todos esses espíritos nas formas plasmadas, do físico ao plano dimensional mais rarefeito que os filhos possam conceber,são os orixás, verdadeiras vibrações cósmicas provindas do hálito de Deus. Quando um espírito elevado plasma, com sua força mental, um hospital no Astral, essa formação energética se mantem indefinidamente pelas leis reguladoras dos orixás. Os espíritos não precisam ficar o tempo todo mentalizando para manter a forma requerida.
Assim é no Universo infinito, onde essas posições vibradas, ou orixás, se fazem presentes em todo os planos em que a vida espiritual se viabiliza pela manifestação nas formas. Os orixás não encarnam e são princípios vibratórios regentes no Cosmo.
[...]
(págs. 162/163)


O conceito expresso de "orixá" no texto refere-se ao Fluido Cósmico Universal, porém na acepção de emanação constante do Criador. Algo mais próximo do conceito que vemos na Cabala, acerca das emanações de Deus.

O mais interessante, por um lado, é que denota uma concepção de "orixás" que desmistifica a imagem primitiva de meras deidades (o que fica mais claro ainda em outros trechos desse mesmo livro), além de reforçar a concepção de vibrações, ondulatória, padrões de interferência e mútua interação por sintonia e ressonância, complementando que há propriedades (digamos, os "orixás") que se ajustam a determinados padrões de realização pelo pensamento. Por outro lado, esses padrões invocados, desde que por um pensamento suficientemente adestrado, plasma ideoplastias duradouras, em construtos que permanecem; ao mesmo tempo, as mentes que se irmanam no desajuste, ressonando no padrão deformado amoldam os rspectivos construtos também duradouros não pelo adestramento da mente, mas pela conjugação de uma egrégora inteira de miríades de desencarnados ressonantes. Uma mente adestrada pode plasmar um ambiente duradouro e harmônico; milhares de mentes desajustadas, comungam o que têm em sintonia na ideoplastia doentia de que são capazes.

3 comentários:

  1. deixo abaixo uma explicação ditada pelo senhor Rompe Mato, postado no Blog Sol de Aruanda

    Orixá não é Deus, tampouco um Deus. Orixá não é anjo, não é santo, não é espírito. Orixá é "outra coisa" para a qual não há palavra equivalente em nosso idioma, não há adjetivos precisos que o possam definir, é uma espécie de força primordial ou original que anima tudo o que existe. Os Orixás são como as cores primárias, que uma vez misturadas, mescladas, podem gerar todas as outras. É a fonte original da manifestação da vida, que refratada em um prisma, se diferencia e se manifesta em múltiplos aspectos. A questão não é orar e pedir auxílio dos Orixás, mas conectar-se com estas energias e banhar-se ou beber direto da fonte, evitando as impurezas.
    Sr. Ogum Rompe Mato

    fonte: http://soldearuanda.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela informação. Sempre achei que orixá era deidade e/ou entidade espiritual

    ResponderExcluir

Somos livres em nossos pensamentos, opiniões, convicções. Seja bem-vindo! --- Obs.: tendo recebido comentários ofensivos sob o véu do anonimato, vi-me obrigado a não permitir mais mensagens sem identificação. Peço a compreensão dos amigos que aqui já postaram como anônimos antes, mas, infelizmente, nem todos têm senso de urbanidade e cidadania.