Aviso

USE O LINK ACIMA PARA CONTATO SOBRE EVENTUAIS ENFRENTAMENTOS DE FASES NEGATIVAS, TROCA DE EXPERIÊNCIAS, BUSCA DE REEQUILÍBRIO.

terça-feira, 27 de julho de 2010

A vingança e suas facetas

Já destaquei em vários outros textos que Kardec assevera ter origem no instinto de conservação todas as paixões e vícios do ser humano ("A Gênese" e "O Céu e o Inferno"). Por outro lado em "O Evangelho Segundo o Espiritismo", a vingança é apontada como o último resquício da barbárie humana. Já foi dito que a vingança é um prato que deve ser servido frio, o que bem demonstra a ação do intelecto já desenvolvido na gestão de atitudes norteadas pelo prazer que a vingança traz... Sim, prazer... Infelizmente esse é o termo, prazer.

Por que a vingança é particularmente prazerosa para a maioria das pessoas? O prazer é, grosso modo, a sensação intensamente agradável que um ato ou fato provoca no universo sensorial do ser. Quando o ser humano se sente aviltado, ofendido, seja ou não real a sua desdita, basta imaginar algo de igual intensidade ou até bem pior acontecendo com o desafeto para que uma satisfação se insinue em sua alma...

Quem sabe seja melhor assim... Talvez muitos atos tresloucados sejam evitados pelo mero prazer em imaginar o pior para aqueles que trouxeram dor moral ou física... Talvez... De qualquer modo, o ensinamento cristão aponta no contrazimute de posturas que tais... Jesus ensinou a dar a outra face. Ensinou a perdoar não sete, mas setenta vezes sete vezes... Ensinou a amar aos inimigos... Há quem oculte nos ensinamentos o desejo sorrateiro de vingança, travestindo-o em pensamentos como "Eu o perdôo, mas não queria estar em sua pele diante de Deus!!!"; ou então "Deus vai lhe dar o que merece!!!"... Quem assim pensa, pelo menos já deixou de praticar moto propriu os atos de vingança... Mas continua desejando que o desafeto sofra...

Dizem que "ciúme" é desejar que outrem não tenham o que temos, e que "inveja" é não desejar que outrem tenham o que têm (o invejoso muitas vezes sequer deseja para si o que os outros têm, apenas gostaria que também não tivessem...). A vingança é o desejo mórbido de que a dor que sentimos seja vivenciada pelos nossos desafetos. Curiosamente, o desejo de vingança ocorre até mesmo quanto a dores que não são nossas...

Nesse contexto, continuo concordando com o ensinamento de André Luiz. Tudo indica que a Vida condiciona atração e repulsão no mineral, automatismos fisiológicos no vegetal, instintos no animal e conduta no ser humano...

Depois de evos inteiros na aquisição do enorme tesouro instintivo humano, buscamos condicionar nossa conduta... É o momento da cosmoética determinar os contornos do ser...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos livres em nossos pensamentos, opiniões, convicções. Seja bem-vindo! --- Obs.: tendo recebido comentários ofensivos sob o véu do anonimato, vi-me obrigado a não permitir mais mensagens sem identificação. Peço a compreensão dos amigos que aqui já postaram como anônimos antes, mas, infelizmente, nem todos têm senso de urbanidade e cidadania.